Visão geral dos métodos de endireitamento

Exemplo do tempo normal necessário para endireitar uma peça cortada por oxicorte em minutos.

Martelo e fogo

Um método de endireitamento clássico. Primeiramente, a peça é aquecida para depois ser endireitada com o uso do martelo. Esta forma de endireitamento é muito dispendiosa e exige muita experiência.

Calandras

Algumas empresas usam a calandra para endireitar peças empenadas. Essa solução paliativa traz melhorias visíveis, porém as tensões contidas no material não são removidas totalmente. Em peças largas, por exemplo, o endireitamento é bastante difícil e é comum necessitar mais de 25 minutos para cada peça.

Prensas

Tão dispendiosas como as calandras. Utilizadas com frequência em peças metálicas com espessuras superiores a 60 mm. Também com esse procedimento, não é raro que o tempo de processamento seja de até 20 minutos por peça.

Endireitaodras automáticas

As endireitadoras automáticas endireitam as peças de modo rápido e simples.
Com frequência, essas máquinas são usadas em peças cortadas a laser e por oxicorte de 0,5 a 60 mm de espessura. As endireitadoras mecânicas são usadas para peças com baixa exigência no endireitamento. No caso de exigências mais elevadas, as peças têm de passar 5 a 6 vezes pela endireitadora.

Endireitadoras de precisão servo-hidráulicas

As endireitadoras de precisão servo-hidráulicas são projetadas para elevadas exigências de endireitamento. Por exemplo, a FlatMaster® da ARKU. Os cilindros têm um apoio excelente e possuem pouca distância entre si. O controle hidráulico integrado mantém constante a abertura entre os cilindros superiores e inferiores durante o processo de endireitamento, mesmo com seções transversais variáveis nas peças. Mesmo peças mais difíceis como as cortadas por oxicorte são endireitadas em poucos minutos.

O processo de endireitamento com cilindros

O endireitamento com cilindros é um processo de dobra. A peça metálica ainda não endireitada é deformada pelos cilindros superiores e inferiores, gerando curvaturas alternadas. Para isso um cilindro inferior é sempre colocado entre dois cilindros superiores. Nos primeiros cilindros, a curvatura de deformação alternada é forte, mas na saída é cada vez mais fraca. A curvatura pode ser comparada a uma curva sinusoidal de deformação. Através da deformação elástica alternada de intensidade cada vez menor no final a peças está plana e principalmente livre de tensões.